Ergonomia: entenda como é feita a sua análise - GNR Ambiental

Você com certeza já deve ter ouvido sobre a palavra “ergonomia”, mas o que ela significa afinal?

Dê uma olhada em seu ambiente agora. Tudo o que você pode ver que foi feito pelo homem foi projetado para se adequar ao usuário final, desde a alça de sua caneca de café até o formato e o tamanho da sala em que você está.

Nada é acidental; a civilização humana foi construída precisamente de acordo com a estrutura e as capacidades de nossos corpos. O mundo pareceria um pouco diferente se, digamos, todos nós tivéssemos oito pernas em vez de duas.

No entanto, quando descrevemos algo como ergonômico, não queremos dizer apenas que é adequado para uso humano. ‘Ergonômico’ significa que atenção especial foi dada ao design para garantir que ele seja o melhor possível para o usuário, o ambiente e a tarefa.

Ergonomia é o processo de projetar ou organizar locais de trabalho, produtos e sistemas para que se adaptem às pessoas que os utilizam.

A maioria das pessoas já ouviu falar de ergonomia e pensa que tem a ver com cadeiras ou poltronas, mas é muito mais. A ergonomia se aplica ao design de qualquer coisa que envolva pessoas – locais de trabalho, esportes e lazer, saúde e segurança.

A ergonomia visa melhorar os locais de trabalho e ambientes para minimizar o risco de lesões ou danos. Assim, à medida que as tecnologias mudam, também muda a necessidade de garantir que as ferramentas que acessamos para trabalhar, descansar e se divertir sejam projetadas para as necessidades do nosso corpo.

Por que a ergonomia é importante?

Pesquisa recente mostrou que a dor lombar é a deficiência relacionada ao trabalho mais comum no mundo – afetando funcionários de escritórios, trabalhadores de obras e na agricultura.

A ergonomia visa criar espaços de trabalho seguros, confortáveis ​​e produtivos, trazendo habilidades e limitações humanas para o design de um espaço de trabalho, incluindo o tamanho do corpo do indivíduo, força, habilidade, velocidade, habilidades sensoriais (visão, audição) e até mesmo atitudes.

Como funciona a ergonomia?

A ergonomia é um ramo relativamente novo da ciência, que depende de pesquisas realizadas em muitas outras áreas científicas mais antigas, como engenharia, fisiologia e psicologia.

Para alcançar o design de melhores práticas, os ergonomistas usam os dados e técnicas de várias disciplinas:

  • Antropometria: tamanhos, formas corporais; populações e variações
  • Biomecânica: músculos, alavancas, forças, força
  • Física ambiental: ruído, luz, calor, frio, radiação, sistemas de vibração do corpo: audição, visão, sensações
  • Psicologia aplicada: habilidade, aprendizagem, erros, diferenças
  • Psicologia social: grupos, comunicação, aprendizagem, comportamentos.

Como é feita a análise da ergonomia?

Existe uma norma para avaliar todos os riscos ergonômicos e as condições laborais. Ela é conhecida como NR 17 e analisa os riscos em todos os postos de trabalhos, desde as máquinas, locais e equipamentos. Essa análise é feita pela empresa e chama-se Análise Ergonômica do Trabalho (AET).

Para aplicar essa análise, existem algumas ferramentas para auxiliar, como por exemplo, RULA, Moore & Garg, Equação de Niosh e Sue Rodgers. Essas ferramentas aceleram a análise e conseguem captar os perigos que o trabalhador está submetido enquanto realiza suas atividades no ambiente de trabalho.

  • RULA

Abreviação de Rapid Upper Limb Assessment (Avaliação Rápida dos Membros Superiores), é uma ferramenta de avaliação de risco no local de trabalho baseada em ergonomia que permite calcular o risco de carga musculoesquelética nos membros superiores e pescoço. O RULA é fácil e rápido de usar e requer equipamentos específicos para ser concluído.

RULA é projetado para avaliar a força, postura e movimento associados a tarefas estáticas ou repetitivas, incluindo fabricação, varejo, tarefas de computador, trabalho de laboratório ou onde o indivíduo precisa fazer grandes esforços dos membros superiores.

  • Moore & Garg

O Strain Index (ou índice de esforço), também conhecido como Moore & Garg por causa de seus criadores (J. S. Moore e A. Garg), é uma ferramenta usada para avaliar o nível de risco de um trabalho para desenvolver um distúrbio da mão, punho, antebraço ou cotovelo devido aos movimentos repetitivos.

Para a análise, são considerados os seguintes elementos:

  • intensidade e duração do esforço;
  • postura da mão e do punho;
  • velocidade do trabalho;
  • duração da tarefa;
  • ciclo de trabalho.
  • Equação de Niosh

Niosh é uma instituição chamada National Institute Occupational Safety and Health que desenvolveu uma equação com o objetivo de calcular o peso máximo na manipulação manual de cargas, com o intuito de evitar o risco de sofrer lombalgia.

A Equação de levantamento NIOSH é uma ferramenta usada por profissionais de saúde e segurança ocupacional para avaliar os riscos de manuseio manual de materiais associados a tarefas de levantamento e abaixamento no local de trabalho.

Uma tarefa de levantamento é definida como o ato de agarrar manualmente um objeto com as duas mãos e mover o objeto verticalmente sem ajuda mecânica. A equação de levantamento do NIOSH considera várias variáveis ​​de tarefa de trabalho para determinar práticas e diretrizes de levantamento seguras.

  • Sue Rodgers

A Avaliação da fadiga muscular de Sue Rodgers ou Análise da fadiga muscular de Rodgers, mede a fadiga física geral em todo o corpo para identificar o risco de distúrbio musculoesquelético relacionado ao trabalho.

Ela é usada para avaliar a quantidade de fadiga muscular que se acumula em 5 minutos de uma tarefa, durante vários padrões de trabalho – especificamente, tarefas que são realizadas por uma hora ou mais onde existem posturas inadequadas e esforços frequentes.

Se você quer entender mais sobre ergonomia e fazer uma análise em sua empresa, entre em contato com a gente. Nós da GNR Ambiental acreditamos que é a máquina que deve se adaptar aos homens, e não o inverso.

_gn