Conheça as Etapas do Gerenciamento de Riscos Ocupacionais

O gerenciamento de riscos ocupacionais (GRO), foi desenvolvido para criar estratégias com o objetivo de auxiliar os empregadores e organizações sobre a diagramação, gerenciamento e fiscalização de possíveis riscos no ambiente de trabalho.

O GRO (Gerenciamento de Riscos Ocupacionais) é uma norma completa que dá condições para que o gestor consiga identificar de forma rápida, simples e eficaz, quaisquer ameaça para a saúde do colaborador, seja ela física ou psicológica.

equipamento de trabalho

O que é uma avaliação de risco?

Segundo a OHSAS 18001, risco é definido como a probabilidade X a gravidade de se ocorrer um acidente ocupacional. O GRO (Gerenciamento de Riscos Ocupacionais) busca identificar esses riscos antes que se transformem em perigo para a saúde do colaborador, essa identificação faz parte da Matriz de Risco contemplada no Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR), e para cada risco terá uma Plano de Ação, levando em consideração classificação dos riscos ocupacionais, riscos com maior significância deverão ter ações mais imediatas, rápidas.

Uma avaliação de risco é um elemento vital para a gestão de saúde e segurança e seu principal objetivo é determinar as medidas necessárias para cumprir as obrigações legais nos termos da Lei de Saúde e Segurança no Trabalho e regulamentos associados, reduzindo o nível de incidentes/acidentes.

Por que fazer uma avaliação de risco?

Uma avaliação de risco protegerá seus funcionários e sua empresa, além de cumprir a lei.

Lembre-se, redução de perdas trabalhistas.

Quanto à quando fazer uma avaliação de risco o GRO (Gerenciamento de Riscos Ocupacionais) e Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) determinam que para atividades, produtos, matérias primas novas deverão ter uma análise PRELIMINAR, ou seja, ela deve simplesmente ser conduzida antes que você ou qualquer outro funcionário conduza algum trabalho que apresente risco de lesão ou doença.

Uma pessoa de sua organização precisa participar de um treinamento de avaliação de risco, pois isso garantirá que essa pessoa seja competente dentro de sua organização e ganhará habilidades como identificação de perigos, capacidade de categorizar e avaliar risco.

Essas habilidades permitirão que uma avaliação de risco ‘adequada e suficiente’ seja conduzida em sua própria organização.

Confira tudo sobre segurança de trabalho, sustentabilidade em nosso site

Etapa 1: Identifique os perigos, ou seja, qualquer coisa que possa causar danos (Matriz de Risco > Programa de Gerenciamento de Riscos -PGR)

Os empregadores têm o dever de avaliar os riscos para a saúde e segurança enfrentados por seus trabalhadores. Ele deve verificar sistematicamente os possíveis riscos físicos, químicos, biológicos e ergonômicos.

Classificação comum de perigos:

  • Físico: por exemplo, levantamento, posturas inadequadas, escorregões e tropeções, poeira, máquinas, equipamentos de informática, etc.
  • Ergonômico: por exemplo, postura inadequada, movimentos repetitivos, movimentação de carga manual, carga de trabalho excessiva, longas horas de trabalho, trabalho com clientes de alta necessidade, bullying, etc.
  • Químico: por exemplo, amianto, fluidos de limpeza, aerossóis, gases e vapores, etc.
  • Biológico: por exemplo, atividades com manuseio de resíduos, atividades de saúde, esgoto, etc.

Etapa 2: Decida quem pode ser prejudicado e como

A identificação de quem está em risco começa com os funcionários de tempo integral e parcial da própria organização.

Os empregadores também devem avaliar os riscos enfrentados pelas agências e contratados, visitantes, clientes e outros membros do público em suas instalações.

Os empregadores devem revisar as rotinas de trabalho em todos os diferentes locais e situações em que seus funcionários são empregados.

Por exemplo:

  • Em um supermercado, os perigos são encontrados nas tarefas repetitivas no caixa, no levantamento de cargas e em escorregões e tropeções causados ​​por derramamentos e obstáculos na loja e nos depósitos.

Os funcionários enfrentam o risco de violência por parte de clientes e intrusos, especialmente à noite.

  • Em call centers, o equipamento da estação de trabalho (ou seja, mesa, tela, teclado e cadeira) deve ser ajustado para se adequar a cada funcionário.
  • Os empregadores têm deveres especiais em relação à saúde e segurança dos trabalhadores jovens, empregados com deficiência, trabalhadores noturnos e mulheres grávidas ou lactantes.

Etapa 3: avalie os riscos e tome medidas

Isso significa que os empregadores devem considerar a probabilidade de cada perigo causar danos.

Isso determinará se o empregador deve ou não reduzir o nível de risco. Mesmo depois de todas as precauções terem sido tomadas, geralmente permanece algum risco.

Os empregadores devem decidir para cada perigo remanescente se o risco permanece alto, médio ou baixo.

Norma GRO, você já conhece?

Etapa 4: Faça um registro das descobertas

Os empregadores com cinco ou mais funcionários devem registrar por escrito as principais conclusões da avaliação de risco.

Este registro deve incluir detalhes de quaisquer perigos observados na avaliação de risco e as ações tomadas para reduzir ou eliminar o risco.

Este registro fornece prova de que a avaliação foi realizada e é usado como base para uma revisão posterior das práticas de trabalho. A avaliação de risco é um documento de trabalho. Você deve ser capaz de ler. Não deve ser trancado em um armário.

Etapa 5: Revise a avaliação de risco

Uma avaliação de risco deve ser mantida sob revisão para:

  • garantir que as práticas de trabalho seguras acordadas continuem a ser aplicadas (por exemplo, que as instruções de segurança da gerência sejam respeitadas pelos supervisores e gerentes de linha); e
  • levar em consideração novas práticas de trabalho, novas máquinas ou metas de trabalho mais exigentes.

Sua empresa já está se adequando as normas GRO/PGR? Em casos de dúvidas e para saber como aplicar de maneira efetiva em sua organização, entre em contato conosco.

Elaboramos também laudo de insalubridade, periculosidade, LTCAT e atuamos como Perito Assistente Técnico, reduzindo perdas trabalhistas.

_gn